top of page

Acerca de

Italo ensaiando_capa site.jpg

ÍTALO MUDADO

SUA HISTÓRIA

Aqui, você vai encontrar uma linha do tempo sobre a trajetória do educador e diretor Ítalo Mudado. Uma das grandes referências do teatro mineiro, que contribuiu para a formação de diversos atores e profissionais das artes cênicas em Minas e no cenário nacional. 80 anos de vida, diversas histórias pra se contar e muita coisa ainda pode ser inserida por aqui, pois o processo de resgate oral de sua trajetória não para. Por isso, novidades vão constantemente surgir por aqui e sua contribuição é muito bem vinda.

2006 a 2011

2006

O Grupo Intervalo revisitou a obra de Luiz Vilela, adaptando contos do autor no espetáculo Luiz CONTO Vilela. Desta vez os contos escolhidos foram “Confissão”, “Uma Namorada”, “Solidão”, “Tarde da noite”, “Com seus próprios olhos”, “Françoise”, “O Buraco” e “Um Rapaz Chamado Ismael”. A adaptação de “Uma Namorada” participou do FENTA - Festival de Teatro Amador, de Governador Valadares, recebendo as premiações de melhor texto, melhor direção e melhor ator.


Ítalo sempre falava de sua admiração por Henrik Ibsen, mas dizia nunca se sentir preparado para produzir um de seus textos. Incentivado por Marcel Luiz, resolveu montar Espectros, texto que Ítalo considerava a resposta do autor à sociedade da época, diante das críticas que havia recebido quando estreou Casa de Bonecas.

2007

A Revista A Imensa Minoria publicou, em sua edição de maio, um perfil sobre Ítalo Mudado.

2008

O Grupo Intervalo produziu uma nova montagem de O Casamento Suspeitoso, de Ariano Suassuna.

 

Ítalo se inspirou na obra de Machado de Assis para criar o espetáculo Por Caminhos de Brás Cubas, que recebeu o prêmio de melhor atriz para Ana Nery, alem de ter sido indicado como melhor espetáculo, melhor direção, melhor ator para Roberto Polido e melhor iluminação, no Festival de Teatro de Guaçui, em 2012.

2010

O último espetáculo dirigido por Ítalo Mudado, e também a última produção do Grupo Intervalo, foi O Doido e a Morte & Amor por Anexins, de Raul Brandão e Arthur Azevedo, respectivamente.

2011

Ítalo Mudado morreu em 22 de junho. Morava na casa colorida da Rua Paracatu, 558, no Barro Preto.

Após sua morte, a memória de Ítalo Mudado continua recebendo diversas homenagens, como a do Microteatro La Movida, que batizou uma de suas microsalas com o nome de sala Ítalo Mudado, em 2017, o mesmo ocorrendo com a sala de ensaios e de reuniões do SATED-MG.