top of page

Acerca de

Italo ensaiando_capa site.jpg

ÍTALO MUDADO

SUA HISTÓRIA

Aqui, você vai encontrar uma linha do tempo sobre a trajetória do educador e diretor Ítalo Mudado. Uma das grandes referências do teatro mineiro, que contribuiu para a formação de diversos atores e profissionais das artes cênicas em Minas e no cenário nacional. 80 anos de vida, diversas histórias pra se contar e muita coisa ainda pode ser inserida por aqui, pois o processo de resgate oral de sua trajetória não para. Por isso, novidades vão constantemente surgir por aqui e sua contribuição é muito bem vinda.

2000 a 2005

2000

O Grupo Intervalo foi convidado a criar três espetáculos para integrar as programações de seminários em universidades: Frei Luís de Sousa, de Almeida Garrett, I-Jucá-Pirama, de Gonçalves Dias, e Poetas Africanos de Língua Portuguesa.

 

Montou os espetáculos Doidos... Para Casar, de Martins Pena, e Caminhos de Sombras da Poesia, uma colagem de poesias de Fernando Pessoa, Carlos Drummond de Andrade, Edgar Allan Poe, Abgar Renault, Emílio Moura, Manuel Bandeira, Augusto dos Anjos e Henriqueta Lisboa. Esses dois espetáculos foram dirigidos por Ítalo Mudado.

2001

Ítalo dirigiu uma nova montagem de A Raposa e as Uvas, de Guilherme de Figueiredo. Porém, como desta vez o Grupo não teve acesso ao autor para conseguir nova liberação de direitos autorais, o espetáculo ganhou um novo título: O Poeta, O Filósofo e a Mulher. Esse espetáculo cumpre temporada com ingressos a R$1,99, por receio de problemas com direitos autorais.

 

O outro espetáculo produzido no mesmo ano foi Neuróticos & Cornudos, que reunia os textos “O Caixeiro da Taverna” e “Os Ciúmes de Um Pedestre”, de Martins Pena. "O Caixeiro da Taverna" se apresentou ainda, de forma independente ao espetáculo, no projeto Zás, no Teatro da Assembleia - BH.

2002

Montagem de Amores de Califa e Bandolim, com os textos “O Badejo” e “O Califa da Rua do Sabão”, de Artur Azevedo.